sábado, 18 de fevereiro de 2017

No Conforto das Maratonas Literárias ---- Maratona de Carnaval


MARATONA DE CARNAVAL

Mais uma vez o grupo do Goodreads No Conforto das Maratonas Literárias, criou uma nova Maratona literária que como sempre está relacionada com um acontecimento, neste caso com o Carnaval.
Maratona de Carnaval (clique no nome para ter acesso imediato) ...

O que é?
Esta Maratona do Grupo “No Conforto das Maratonas Literárias” tem como principal objetivo a leitura dos livros que muitas vezes se vão acumulando… É um incentivo..! Bem, o previsto é, mediante o grupo de participantes, se formarem dois ou três grupos, somando-se, no final, o número de páginas lidas de modo a ser possível estabelecer um vencedor e uma equipa vencedora…

Quem pode participar?Todos podem participar! Não apenas bloggers literários, mas também todos os leitores que estiverem interessados no desafio.

Quando e como vai decorrer?
O planeado é a maratona durar 5 dias, do dia 25 de fevereiro (desde o primeiro minuto – 0h00) ao dia 1 de março (até 23h59). Os resultados das equipas deverão ser anunciados no grupo até às 23h59 de 4 de março.

Como me posso inscrever?Basta enviar um email para noconfortodoslivros@gmail.com ou comentar no tópico do grupo “No Conforto das Maratonas Literárias” (no Goodreads). No prazo de um dia, responderei às inscrições e indicarei o grupo do Goodreads (para os que não tiverem ainda aderido). São aceites inscrições até ao dia 23 de fevereiro.

Como vai funcionar?
Como já sabem, formar-se-ão grupos de “competição”… Para tornar a competição mais interessante, decidi criar algumas categorias (os restantes livros são “à discrição”):
1. Um livro curto (assim como o mês de fevereiro).
2. Um livro disfarçado (isto é, diferente do que a capa parece indicar)
3. Um livro que te vá divertir.

Nota: as metas são individuas e poderão ser leituras ou releituras. Os livros escolhidos para as categorias terão de ser lidos por completo (caso contrário, no final, por cada categoria não cumprida, o participante perderá 30 pontos).

Regras:No dia anterior ao início da maratona, será publicada no grupo a divisão dos participantes pelos grupos (aleatoriamente). Sendo assim, até lá, têm apenas de fazer o seguinte:
1. Se é um blogger: publicar um artigo a apresentar a participação na maratona com o nome do “host” (No Conforto dos Livros – com link para no-conforto-dos-livros.webnode.com ). Ah! E deixar na barra lateral o selo da maratona…
2. Caso não seja: publicar no seu mural de facebook, afirmando que participa na maratona (com o mesmo nome e link).

Participem, divirtam-se e acima de tudo leiam... Claro que eu vou participar;)
Quando tiver os livros escolhidos vou postar aqui, espero conseguir ler os que são de caracter obrigatório e mais alguns...sempre com expectativas muito elevadas eu sei;)

Não posso deixar de deixar aqui o meu muito obrigada ao moderador do grupo No Conforto das Maratonas e um obrigada muito especial à dica da Maria Pereira.

Inscrevam-se, quantos mais melhor e mais divertida será a Maratona de Carnaval.

Participem e gozem o prazer da leitura nesta Maratona de Carnaval...

Boas leituras.



terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Opinião I "Mar me quer" do escritor Mia Couto

"Mar me quer"
Mia Couto
N.º de páginas: 72 páginas
Sinopse:

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 8º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada.

"Um dia o padre Nunes me falou de Luarmina, seus brumosos passados. O pai era um grego, um desses pescadores que arrumou rede em costas de Moçambique, do lado de lá da baía de S. Vicente. Já se antigamentara há muito. A mãe morreu pouco tempo depois. Dizem que de desgosto. Não devido da viuvez, mas por causa da beleza da filha. Ao que parece,
Luarmina endoidava os homens graúdos que abutreavam em redor da casa. A senhora maldizia a perfeição de sua filha. Diz-se que, enlouquecida, certa noite intentou de golpear o rosto de Luarmina. Só para a esfeiar e, assim, afastar os candidatos.

Depois da morte da mãe, enviaram Luarmina para o lado de cá, para ela se amoldar na Missão, entregue a reza e crucifixo. Havia que arrumar a moça por fora, engomála por dentro. E foi assim que ela se dedicou a linhas, agulhas e dedais. Até se transferir para sua atual moradia, nos arredores de minha existência."retirado do site wook


Minha opinião:
Fazia muito tempo que não lia nada do escritor moçambicano Mia Couto. No entanto, na perspetiva de cumprir o objetivo de baixar a pilha de livros que temos na estante, peguei neste pequeno conto de Mia Couto que à muito tempo tenho na minha estante.
Eu não sou propriamente uma seguidora deste escritor, não que não goste dos  seus livros, mas antes porque não tenho muitos. Gosto muito da forma como Mia Couto escreve, neste conto ressaltou o modo sublime com que aborda o amor e de certa forma "amor carnal". As personagens estão muito bem construídas e gostei de as conhecer. Contudo, não foi uma história que eu possa afirmar ter-me agarrado. Não senti muita ligação com as personagens e não senti aquilo que eu gosto quando leio algo, que é estar dentro da história.
Na minha opinião não acho que seja uma leitura apropriada para o 8.º ano de escolaridade, mesmo sendo uma leitura orientada, talvez no 9.º ano se enquadrasse melhor.
Classificação de 3*** no Goodreads.
Boas leituras.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Opinião I "A História de Catherine" do escritor Patrick Modiano

"A História de Catherine"
Patrick Modiano
N.º de páginas:96 páginas
Sinopse:
"Tal como o seu pai, a pequena Catherine usa óculos. E tal como a mãe, que vive em Nova Iorque, gostaria de vir a ser uma grande bailarina. E porque tem de tirar os óculos para dançar, Catherine descobre a vantagem de poder viver em dois mundos diferentes: o mundo real, assim como ela o vê quando tem os óculos postos, e um mundo pleno de doçura, vago e suave, quando os tira." retirado do Goodreads

O escritor-Patrick Modiano-:
Patrick Modiano


"Nascido nos subúrbios de Paris, Patrick Modiano é filho de um comerciante judeu e uma atriz da Flandres. Ambos se conheceram durante a ocupação alemã. Por sua própria admissão Modiano se sentiu "não muito fortemente" ligado ao judaísmo. Ele cresceu inicialmente com os avós e, em seguida, passou a infância em um internato. A morte de seu irmão, com dez anos de idade, foi um choque para ele.
É autor de Missing Person (1978). Escreveu o argumento de Lacombe Lucien (1974) em co-autoria com o realizador, Louis Malle. Em 1972 venceu o Grande Prémio do Romance da Academia Francesa, com o livro Les Boulevards de ceinture, e em 1978 o Prémio Goncourt com o livro Rue des boutiques obscures. Em 2010, foi distinguido com o Prêmio Mundial Cino Del Duca, atribuído pelo Instituto de França, e dois anos depois, em 2012, venceu o Prémio Austríaco de Literatura Europeia.[1]
Centrada na repetição e nas su(b)tilezas, sua obra romanesca se aproxima de uma forma de autoficção pela sua busca pela juventude perdida. Ela conta a vida de indivíduos desconhecidos confrontados aos horrores da história.
Em 9 de outubro de 2014 foi distinguido com o Nobel de Literatura. As obras do escritor tem como cenário principal a Segunda Guerra Mundial e a ocupação da França pela Alemanha nazista. Modiano é o o décimo quinto autor francês laureado com o Nobel de Literatura.O prémio foi-lhe atribuído "pela arte da memória com a qual ele evocou os destinos humanos mais inatingíveis e descobriu a vida do mundo da ocupação alemã"."retirado da Wikipédia

Minha opinião:
Foi a primeira vez que li algo deste escritor que desconhecia por completo. O livro conta-nos a história da pequena Catherine e do seu pai, que se encontram separados respetivamente da mãe e esposa, dado que esta vive nos Estados Unidos da América.
Catherine usa óculos e acha que vive em dois mundos, o mundo com óculos e o mundo sem óculos. Quando vai para as suas aulas de ballet ela vive no mundo sem óculos e durante o resto do dia vive no mundo com óculos.
Gostei muito deste pequeno livro, lio para o Desafio 52 e duas semanas 52 livros na categoria livro escrito por o vencedor de um prémio Nobel.
Aconselho a sua leitura.
Classificação de 4 **** estrelas no Goodreads.

Boas leituras.


terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Opinião I "Eu estive aqui" da escritora Gayle Forman


"Eu estive aqui"
Gayle Forman
N.º de páginas: 240 páginas

Sinopse:
"Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal? A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos. Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida.Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível." retirado do Goodreads

Minha opinião:
Tenho esta escritora numa fasquia muito alta, talvez por isso estivesse a contar com um livro arrebatadoramente belo.
Não quero dizer com esta introdução que não tenha gostado do livro, gostei muito, mas ou foi lido no momento errado, e por esse motivo vou reler daqui a uns tempos, ou realmente tivesse a contar com um outro tipo de enredo no contexto do que li na sinopse.
Mas tenho que o reler pois acho que também não o li com a atenção e predisposição necessária.
Classificação 4**** Goodreads.
Boas leituras!


Opinião I "És o meu segredo" do escritor Tiago Rebelo


"És o meu segredo"
Tiago Rebelo
N.º de páginas:189 páginas
Sinopse:
«Tomás Arruda, o actor português mais famoso da actualidade, está de regresso a Lisboa depois de ter conquistado Londres e Hollywood. Em Sintra, local onde vai rodar o seu novo filme com o realizador Ian Holden, de ascendência lusa, Rute Madeira prepara uma festa de boas-vindas que vai como que assinalar um novo capítulo nas suas vidas. Rute e a sua irmã mais nova, Filipa, são amigas de longa data de Tomás, do tempo em que este ia passar férias em Pedras del Rei, e em especial de um inesquecível Verão em que se criaram fortes laços e um doloroso segredo foi revelado sob a abóbada do entardecer celeste. Produto da alta sociedade portuguesa, Tomás, Rute e Filipa parecem ter tudo para emanar felicidade: Tomás tornou-se actor profissional e o seu trabalho foi reconhecido com uma nomeação para um Óscar; Rute gere os negócios da família com uma personalidade de ferro que faz com que estes caminhem de sucesso em sucesso; Filipa concretizou o seu sonho de se tornar educadora de infância e tem uma vida manifestamente tranquila. Todavia, as aparências e os êxitos profissionais escondem os fracassos a nível pessoal, que vão unir as personagens e mergulhar o leitor nos abismos psicológicos das suas mentes, pautadas por um sentimento de solidão, fragilidade e vazio. Romance intenso como Tiago Rebelo já nos habituou, És o Meu Segredo seduz o leitor deleitando-o com um enredo fiel ao próprio carácter da vida: com os seus momentos de escuridão que podem, por vezes, desaguar em tragédia, mas também com a promessa da luz da felicidade.» retirado do Goodreads

Minha opinião:
Este foi o segundo livro que li do escritor Tiago Rebelo, apesar de me parecer ser um dos primeiros livros deste escritor, não deixou de me maravilhar a sua leitura.
Sou uma apaixonada por romances e a leitura deste pequeno livro conseguiu encher as minhas medidas. Claro, que foi um pouco trágico mas qual é o romance que não tem tragédia;)
Adorei ler mais um livro de Tiago Rebelo e vou continuar a ler, pelo menos os que tenho por casa.
Classificação de 4**** no Goodreads.
Boas leituras!

Opinião I "O Crime do Padre Amaro" do escritor Eça de Queiroz

"O Crime do Padre Amaro"
Eça de Queiroz
N.º de páginas: 503 páginas
Sinopse:
«"O Crime do Padre Amaro" apareceu, pela primeira vez, em folhetins, na "Revista Ocidental", em 1875, surgindo em volume no ano seguinte. Sabe-se, no entanto, como Eça de Queiroz apurava de edição para edição as suas obras, alterando-lhes, por vezes substancialmente, o estilo, o enredo e a estrutura.

A fixação do texto e as notas desta edição de "O Crime do Padre Amaro", assim como de todos os títulos subsequentes, são da autoria da Sra. Dra. Helena Cidade Moura, especialista de reconhecido valor no âmbito dos estudos queirozianos. A versão tomada como base foi a de 1880, última revista pelo Autor.

Inclui-se também uma carta inédita de Antero de Quental, cujo manuscrito autógrafo incompleto se encontra na posse da Família Eça de Queiroz e que nos foi amavelmente facultado.» Retirado do site Wook
 
Minha opinião:
 
Este foi o primeiro livro que li deste escritor português tão falado e que não agrada a todos.
Entrei na leitura, sabendo já a história do livro pois já tinha visto duas adaptações cinematográficas do mesmo.
Confesso que comecei a leitura a "medo", isto porque, já tinha tentado ler o seu livro "Os Maias" e não tinha conseguido. Contudo, "O Crime do Padre Amaro" tem uma escrita muito mais "leve" e quando entrei na história não consegui largar mais a mesma.
Adorei o livro, Eça era sem sombra de dúvida um escritor muito à frente para a sua época, pois a abordagem de um romance entre um padre e uma mulher, por si só já é um tema polémico e quando envolve outros pontos igualmente polémicos só faz crer que estamos perante um dos melhores escritores do século XIX.
Agora compreendo melhor os motivos de este livro ser proibido antes do 25 de abril, apesar de não concordar, claro.
Não vou avançar com pormenores sobe o enredo do livro, pois já abri um pouco o leque, só gostava de referir que para quem já viu a adaptação cinematográfica, o livro é cem vezes melhor. Eça consegue agarrar o leitor, pelo menos a mim conseguiu. Com muita felicidade que  posso dizer que Eça de Queiroz passou a ser um dos meus escritores favoritos, agora quero ler mais sobre este escritor. Como tenho a coleção completa em casa já sei que mais cedo ou mais tarde vou ler outro livro do brilhante Eça de Queiroz.
Classificação de 5***** no Goodreads.
Boas leituras!


sábado, 14 de janeiro de 2017

Opinião I "Irmão Lobo" da escritora Carla Maia de Almeida


Irmão Lobo
Carla Maia de Almeida
Ilustração de António Jorge Gonçalves
Editora: Planeta Tangerina
ISBN: 978-989-814- 553-6
N.º de páginas:120 páginas

Sinopse:
Depois de O Caderno Vermelho da Rapariga Karateca, que inaugurou a nova coleção, o Planeta Tangerina publica Irmão Lobo, com texto de Carla Maia de Almeida e ilustrações de António Jorge Gonçalves.
Numa narrativa a duas vozes, esta é a história de uma família obrigada a mudar de vida e de uma viagem por um país que se desmorona. Nela se cruzam a voz de Bolota, 8 anos, quando parte «em expedição pela estrada fora, em direção ao fogo e ao centro da Terra»; e a da mesma personagem, já adolescente, recordando a estranha aventura passada na infância.
Malik. Penso nele como um totem que mantinha a tribo unida, a tentar adaptar-se ao apartamento e a sonhar com o seu antigo tipi rodeado de verde.
Nas poucas fotografias que tirámos depois e ele partir, parecemos um punhado de moedas atiradas ao ar, caídas ao acaso, afastadas umas da outras. Esta, por exemplo, com a Blanche a olhar para mim, Alce Negro a olhar o céu, o Fóssil a olhar para os ténis e a Miss Kitty de óculos escuros, a olhar para dentro, para os lugares onde só ela entrava.
Depois daquele verão em que tudo começou a arder, nunca mais aparecemos os cinco nas fotografias. Foi o verão da Grande Travessia no Deserto da Morte. Ou simplesmente, o verão da Grande Travessia.
Lembro-me como se fosse hoje." retirado a contracapa do livro

Minha opinião:
Este livro faz parte do plano de leitura do terceiro ciclo de escolaridade, fazendo parte de uma leitura infantojuvenil.
Quando terminei esta excelente leitura recordei-me do livro "O Principezinho", logo conclui que este livro é para todas as idades e no meu ponto de vista, deveria ser lido por muitos adultos.
Ao longo do livro deparámo-nos com uma história de enredo forte que relata o desmoronar de uma família que se encontra em estado de rutura.
A narradora da história é Bolota que vai nos fornecendo uma perspetiva da sua vida aos 8 anos e aos 15 anos.

Gostei muito da forma como os dois pontos de vista se encontram organizado neste, páginas e diferentes cores e ilustrações extraordinárias.
As dúvidas, problemas e questões de Bolota na sua infância, de quem tem a ideia de ter nascido fora do tempo apresentada pela protagonista de uma forma de certo modo dura, conseguiu que eu como leitora, me sentisse dentro da própria história e olhar a mesma através do olhar da Bolota. As suas aventuras com Alce Negro, as suas viagens sem sair do lugar, encolhemos com ela face ao Homem de Gelo, sentindo como a própria Bolota o medo que se forma quando uma  família começa a desmoronar, eu sofri com a protagonista, pela antecipação e derrocada silenciosa que a sua vida acaba por levar.
Esta é sem dúvida uma história que nos fica no coração mas acima de tudo na alma.
É um livro que tenho a certeza que irei reler assim como faço com "O Principezinho" é um livro que me fez refletir muito, sobre a importância da família e o modo como a sua destruição pode criar uma quebra de afetos em todos os seus elementos.
Desengane-se quem pensa que é um livro infantojuvenil, este livro deve ser lido e relido em todas as idades.

Classificação de 5* no Goodreads.
Aconselho vivamente a sua leitura.

Boas leituras.
 

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

A Volta ao Mundo em Livro - 6.º país : França

Após já teremos lido livros de cinco nacionalidades diferentes, chegou a vez da França.
Depois de uma longa pesquisa na estante encontrei alguns livros de escritores franceses (confesso que foi uma enorme surpresa para mim), dado que temos três meses para ler escritores de nacionalidade francesa, eu acho que vou conseguir ler mais do que um, contudo o livro que selecionei para ser o primeiro foi:
Segundo o que estive a pesquisar este livro foi o grande inspirador para George R.R. Martin escrever a Guerra dos tronos, logo nada melhor para começar a ler Maurice Druon com o seu livro "O Rei de Ferro e a Rainha Estrangulada".

Devo contudo referir que recebi no natal, prendinha da minha querida mãe, um outro excelente livro de um escritor clássico francês, La Fontaine e o livro é As Lendas Completas de La Fontaine.
Também vou ler este livro mas não sei se o conseguirei fazer dentro da data prevista.
Deixo aqui as leituras que quero muito fazer de autores franceses. Apesar de surpreendentemente ter mais na estante estas estão em primeiro lugar. Depois logo se verá;)
Boas leituras!

domingo, 1 de janeiro de 2017

Maratona Ano Novo

Maratona literária de Ano Novo

O que é?
Esta Maratona do Grupo “No Conforto das Maratonas Literárias” tem como principal objetivo a leitura dos livros que muitas vezes se vão acumulando… É um incentivo..! Bem, o previsto é, mediante o grupo de participantes, se formarem dois ou três grupos, somando-se, no final, o número de páginas lidas de modo a ser possível estabelecer um vencedor e uma equipa vencedora…

Quem pode participar?
Todos podem participar! Não apenas bloggers literários, mas também todos os leitores que estiverem interessados no desafio.

Quando e como vai decorrer?
O planeado é a maratona durar o mês de Janeiro quase todo, do dia 3 de janeiro (desde o primeiro minuto – 0h00) ao dia 31 (até 23h59). Os resultados das equipas deverão ser anunciados no grupo até às 23h59 de 4 de fevereiro.

Como me posso inscrever?
Basta enviar um email para noconfortodoslivros@gmail.com ou comentar no tópico do grupo “No Conforto das Maratonas Literárias” (no Goodreads). No prazo de um dia, responderei às inscrições e indicarei o grupo do Goodreads (para os que não tiverem ainda aderido). São aceites inscrições até ao dia 1 de janeiro.

Como vai funcionar?
Como já sabem, formar-se-ão grupos de “competição”… Para tornar a competição mais interessante, decidi criar algumas categorias (os restantes livros são “à discrição”).


Faço parte da Equipa Ano Novo;)

1. Um livro que tens na estante há muito tempo por ler:


2. Um livro que tem uma capa bonita:
3. Um livro que recebeste no Natal:

Nota: as metas são individuas e poderão ser leituras ou releituras. Os livros escolhidos para as categorias terão de ser lidos por completo (caso contrário, no final, por cada categoria não cumprida, o participante perderá 30 pontos).

Regras
No dia anterior ao início da maratona, será publicada no grupo a divisão dos participantes pelos grupos (aleatoriamente). Sendo assim, até lá, têm apenas de fazer o seguinte:
1. Se é um blogger: publicar um artigo a apresentar a participação na maratona com o nome do “host” (No Conforto dos Livros – com link para no-conforto-dos-livros.webnode.com ). Ah! E deixar na barra lateral o selo da maratona…
2. Caso não seja: publicar no seu mural de facebook, afirmando que participa na maratona (com o mesmo nome e link).

Espero que participem e gostem!! Vai ser uma ótima experiência! ;)

Bem, vamos a isso?? :) É mais longa e, por conseguinte, mais tranquila..! :)

Vamos lá ver como corre esta Maratona;)

Boas Leituras.

sábado, 31 de dezembro de 2016

Feliz Ano de 2017

Desejo a todos os meus seguidores, todos os meus amigos que fiz aqui através do blog e do Goodreads um ano de 2017 muito Feliz.
Que seja um ano com muita saúde, alegria, amor, amizade e acima de tudo com muita paz nos nossos corações. Que não vos falte nada  que leiam muitos e bons livros.
Queria deixar aqui um apontamento pequenino...Leiam o que vos dá prazer ler, vivam o que querem viver e nunca deixem que ninguém vos magoe, nem que seja com um olhar. Cada um de nós é um ser único que merece ser respeitado, amado e acima de tudo nunca deve permitir que o humilhem.
Eu sei que estou sempre a Citar António Feio mas nunca é demais recordar quem nos deixou um legado enorme e um excelente conselho de vida:

"Se há coisa que eu costumo dizer é: Aproveitem a Vida e Ajudem-se uns aos outros, apreciem cada momento, agradeçam e não deixem nada por dizer, nada por fazer..."
in António Feio

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Opinião I "Slated - Reiniciada" da escritora Teri Terry

Slated - Reiniciada
Teri Terry
Editora: Lápis Azul
ISBN:978-989-8730-23-7
Edição: Março de 2015
N.º de páginas: 488 páginas

Sinopse:
"Kyla Davis está prestes a entrar numa nova vida. As suas memórias foram apagadas e, com elas, todo o conhecimento que tinha antes de ter sido Reiniciada. Como pena para um crime que, como tudo o resto, desconhece, tudo o que a identificava foi removido. Agora, Kyla tem à sua espera uma nova família e um novo início de vida, e a responsabilidade de cumprir tudo aquilo que esperam dela - caso contrário, as consequências poderão ser pouco agradáveis. Mas, mesmo enquanto se tenta adaptar à comunidade, Kyla começa a questionar. Há pessoas a desaparecer à sua volta e uma vigilância opressiva em que todos parecem estar apenas à espera que ela cometa o seu primeiro erro. E, algures por dentro, há memórias que lutam para surgir. Talvez ela não seja apenas a boa menina Reiniciada que todos lhe exigem que seja. Mas quem é, então?"

Minha opinião:
Este é o primeiro volume da trilogia Slated. Este livro é uma mistura de ficção cientifica e distopia. Está muito bem contruído o enredo da história e devo confessar que foi dos livros deste género que mais gostei de ler nos últimos tempos.
Neste primeiro volume é apresentada a personagem principal, a jovem Kyla, que foi sujeita ao programa de reiniciação, este consiste em apagar as memórias de pessoas que cometeram atos de terrorismo, pertenciam a gangs ou assassinos. Após estarem durante um período, num hospital, e de ter sido sujeita ao processo de Reiniciação, a jovem Kyla foi entregue a uma família onde tem de ter um comportamento exemplar e não deveria recordar-se de nada do seu passado. Contudo, Kyla tem sonhos muito estranhos e começa a questionar-se sobre a veracidade dos mesmo. Entretanto, Ben o melhor amigo de Kyla comunica-lhe que Tori uma adolescente reiniciada tal como Ben, desapareceu e ninguém sabe nada sobre ela.
As recordações poderão voltar à mente de um reiniciado? E se de repente eles ou Kyla se recordar do que era antes de lhe apagarem a memória?
Escrito de uma forma simples este livro é maravilhoso. Agora o segundo volume que já o tenho por casa é intitulado Slated-Fragmentada e posso garantir que promete.
Estou a adorar esta trilogia.
Classificação de 5*****no Goodreads

Boas leituras.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Divulgação do livro do escritor Petrónio Augusto


A Cunhada e o Gémeo do engravatado rei do Arquipélago das Berlengas
Petrónio Augusto
ISBN ebook em PDF: 978-989-20-7118-3
Disponível em ebook:3,49 euros
N.º de páginas: 327 páginas
Sinopse:
"O que tem de especial o coração? Toda a gente tem um…
Reino das Berlengas, a monarquia mais ocidental da Europa, todos já ouviram falar, poucos têm a sorte de o conhecer. Svetlana Kainova, depois de testemunhar um atropelamento, perde o namorado e o emprego, vendo-se forçada a dar um novo rumo à sua carreira de bailarina. James Wigglesworth vive afastado da sua Casa Real, amargurado por não ser rei e dedica-se a estranhos rituais de final de acasalamento.
Ele dá-lhe flores com um presente adicional, ela dá-lhe, a flutuar nas ondas do Atlântico, garrafas de vodka vazias, rejuvenescidas com cartas de amor… tudo pode acontecer, até que um único evento, seguido de uma SMS e de um telefonema, mudam para sempre as suas vidas…
Coimbra, Peniche, Berlengas, Lisboa, Entroncamento, Varsóvia, Pequim, Cairo, Berlim, Reykjavik, um enredo abundante em inesperadas bandas sonoras, detalhes de física, suaves notas de história e de anatomia, fotografias e uma pequena música.
Desencontros, perseguições, desejos de vingança, ciúme, suaves intromissões em peças de Shakespeare e de Gil Vicente, jogos de xadrez ao som dos Beatles, eventuais concertos da Berliner Philharmoniker, casamentos com valsas de Strauss e contemplações de pinturas de Picasso…
Nem todos os caminhos para a felicidade são fáceis e serenos. Esta não parece, mas acabará por tornar-se numa irresistível história de amor.
“A Cunhada e o Gémeo... do engravatado rei do Arquipélago das Berlengas” é o segundo romance da trilogia não oficial da Casa Real da Berlenga. Uma obra manuscrita ao volante, num automóvel sem cruise control, em repetidas viagens pelas autoestradas A1, A8 e A15."

Leia um livro e receba muito mais que sorrisos: a autor doa 25% das suas receitas de venda a instituições de solidariedade social.

O escritor - Petrónio Augusto -:
"Petrónio Augusto adora conduzir e adora escrever. E, como tinha falta de tempo, decidiu fundir as duas actividades, desenvolvendo o curioso hábito de escrever livros ao volante de automóveis sem cruise control, criando assim a primeira trilogia manuscrita ao volante, sobre a Casa Real das Berlengas, a monarquia mais ocidental da Europa.
Em particular, “A Cunhada e o Gémeo do engravatado rei do Arquipélago das Berlengas” foi escrito em repetidas viagens nas lusitanas autoestradas A1, A8 e A15 (o autor adverte que a A1 e A15 são mais recomendáveis para este tipo de escrita, a A8 nem tanto).
O autor reconhece como sua principal dislexia a incapacidade para escrever por extenso os números do género masculino, mas, existe publicada na sua obra, uma boa razão para isso. Gosta também de investir tardes em aeroportos e bares, a escrever as surpreendentes histórias dos Homens. Deixa aí parte delas, tatuadas em pedaços de papel com o seu endereço de e-mail em rodapé, para que 1 leitor mais interessado continue a escrita e depois lhe envie a sua opinião.
Petrónio Augusto, nasceu em 1978, em Marvão, Portugal, é casado, tem dois filhos e, quando não está a ler, gosta de inventar o destino das personagens que lhe surgem na mente."

Este ebook foi enviado pelo escritor, para que eu pudesse ler e dar a minha sincera e honesta opinião.
Muito obrigada Petrónio, logo que possível lerei o ebook e darei a minha sincera e honesta opinião tal como prometido.

Boas leituras.





terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Opinião I "Reunião de Heróis" do escritor Ricardo Formigo

Reunião de Heróis
Ricardo Formigo
Editora: Chiado Editora           
Edição :  2016
ISBN: 978-989-516-659-6
N.º de páginas:250 páginas

A leitura deste livro foi solicitada pelo escritor Ricardo Formigo, e o envio do mesmo, foi pela Chiado editora com a qual tenho um enorme gosto de estabelecer  parceria.


Sinopse:
"Estes são tempos difíceis para os habitantes de Morlômbia!
Depois de meio século de guerra, o Rei Travis morre em batalha e é sucedido pelo seu primo Fallow, um tirano que apenas se preocupa com o poder, devastando tudo e todos em busca do que quer.
Annabelle, irmã de Travis, fica em perigo de vida e escapa da cidade de Madrasis rumo ao imponente Elmo do Martelo, uma fortaleza escondida nas montanhas, para proteger os Morlombos dos invasores Ingols.
Com a chegada iminente da guerra civil, cada um dos lados esforça-se por reunir aliados e conquistar a sua lealdade. Mas quem serão os heróis dispostos a lutar por cada um dos pretendentes ao trono de Morlômbia?"

Minha opinião:
A leitura deste livro foi realizada já faz muito tempo, contudo não sabia como escrever a sua opinião. O Ricardo várias vezes me solicitou que quando escrevesse a opinião lhe dissesse, eu ia adiando, com medo de estar a supervalorizar o livro, ao qual atribui 5 estrelas.
Confesso ainda que hoje à tarde reli o livro e tenho plena consciência do valor deste. A minha opinião é o mais honesta possível mesmo que possa parecer estar a sobrevalorizar, no meu ponto de vista não o estou a fazer.
Este livro é simplesmente fantástico, quando estava a ler só me vinha à mente como é possível um rapaz tão novo como é o Ricardo ter escrito este livro. Enquanto me fui perdendo no Reino da Morlômbia, só me vinha à cabeça o primeiro livro que li de George R. R. Martin. Não estou de modo algum a exagerar simplesmente esta história é fascinante e está tão bem concebida, parabéns Ricardo.
Este livro conta a história da conquista do trono de Morlômbia, neste reino que estava a ficar desfeito, as pessoas que não agradavam à rainha eram enviadas para trás de umas muralhas- Elmo- bem longe do reino. Lá estavam assassinos, assaltantes, pobres pedintes. Annabelle fugiu para o Elmo do Martelo porque o Fallow a queria matar. Ela escolheu o Elmo porque foi o local onde o irmão viveu e lutou, logo ela esperava que os aliados do irmão a ajudassem a fugir de Fallow e a lutar contra os Ingols.
Não quero nem vou entrar em pormenores, porque este livro é tão bom que se eu contar seja o que for sobre ele vou estragar a satisfação que tenho a certeza outros leitores vão ter ao ler este livro.
Convém referir que este é o primeiro volume de uma trilogia que eu não vou perder a sua sequência e tenho a certeza que antes de ler o segundo volume vou querer reler o primeiro.
Tenho de pedir as minhas desculpas ao escritor por ter demorado tanto tempo a escrever a minha opinião, contudo, comparar este livro e o que senti ao o ler com o primeiro volume da saga Crónicas de Gelo e Fogo, não foi fácil para mim, dado que estou a comparar um jovem talento com o talento do já afamado Martin.
Os meus sinceros e honestos parabéns Ricardo, tenho plena noção que se fosses um escritor estrangeiro terias um maior reconhecimento, mas prova que o mereces quando acabares a trilogia, porque podes ter a certeza que se for tão boa como este primeiro volume vais dar que falar. Pelo menos espero que sim e estou a torcer por ti e por outros jovens escritores como a Tânia Dias, que têm a capacidade de nos fazerem viajar para reinos e lugares fantásticos onde a magia se interlaça com uma história fabulosamente bem escrita.
Classificação 5***** no Goodreads.
Fico a aguardar o segundo volume com uma expectativa muito elevada.
Boas leituras.

Opinião I "Broken - Despedaçada" da escritora Tânia Dias

Broken-Despedaçada
Tânia Dias
Editora: Chiado Editora
ISBN:978-989-515-3459
N.º de páginas:420 páginas

Após um pedido da escritora Tânia Dias para ler o seu livro e de a Chiado Editora me ter gentilmente enviado o livro para eu ler, vou deixar aqui a minha sincera e honesta opinião.



Sinopse:
"Assumir o seu papel como líder não estava nos planos de Alexia White, mas quando a sua mãe perde a vida num terrível assalto ao castelo, ela vê-se sem opções.
Num mundo onde os fracos se distinguem dos fortes pelos dons que possuem, Alexia está no topo da lista e precisa de aprender a lidar com os seus dons se pretende recuperar Starnyz das garras do traidor. Ian Bealfire, um homem que exala arrogância e prepotência por todos os poros, parece disposto a ocupar o lugar de seu Mestre.
Há quem diga que a jovem está destinada a salvar o mundo mas despedaçada pelas perdas que sofreu. Assombrada pelas memórias do passado, será mesmo capaz de salvar o mundo, quando nem a si parece ser capaz salvar?"

Minha opinião:
Esta é a opinião que eu escrevi no Goodreads quando acabei de ler o livro, não a vou alterar aqui no blog pois foi realmente o que senti com esta leitura.
Antes de mais quero agradecer à Tânia por me ter solicitado a leitura do mesmo e ainda tenho que referir que esta opinião é sincera e honesta, não foi por a escritora me ter solicitado a leitura que eu a beneficiei. Agradeço também a Chiado editora pelo envio do mesmo.
Quando peguei no livro não estava a contar com o mundo fantástico que ia conhecer.
Este livro é o primeiro de uma trilogia que a jovem Tânia Dias está a escrever e que tem todos os elementos para vir a ser um grande sucesso.
A história passa-se num reino onde os elementos: ar, terra, água e fogo são utilizados pela personagem principal que é a jovem rainha Alexia, que se vê de repente a assumir esse papel depois da morte da sua mãe.
Mas não é fácil para Alexia a utilização dos elementos mágicos que ela tem poder, então ela vai se ver a braços com um rapaz de negro que a vai ensinar a utilizar a sua energia para controlar os elementos e assim poder ajudar o seu povo.
Alexia está também a deparar-se com uma outra situação bem perigosa que é o facto do seu primo querer ganhar o controlo do seu reino.
Esta história está muito bem construída, tem um desenrolar que me prendeu e não consegui para quando entrei na mesma.
Muitos parabéns Tânia, fico a aguardar o segundo volume espero que não demore.
Classificação de 5*****no Goodreads.

Boas leituras.

Opinião I "A Magia do Acaso" do escritor Tiago Rebelo

A Magia do Acaso
Tiago Rebelo
Editora Asa
ISBN: 978-989-23-3627-5
N.º de páginas: 406 páginas

«A magia do acaso tornou-os mais íntimos. Numa época em que as pessoas se encontravam no Facebook, era admirável que eles se cruzassem assim fortuitamente na rua, como se o destino teimasse em contrariar as suas decisões.»

Sinopse:
"Só o poder do amor é capaz de derrubar todas as resistências de uma vida que parecia condenada à rotina e à resignação.
Sofia, secretária num escritório de um famoso advogado, casada com André, um bem-sucedido administrador de uma empresa do ramo imobiliário, sente-se desconfortável por tudo ser decidido em função do marido. Porém, Sofia, uma alma avessa a atitudes impetuosas, mantém-se presa ao compromisso, incapaz de romper os laços de uma relação outrora feliz.
Mas o destino encarrega-se de encontrar caminhos improváveis para a felicidade e um acaso extraordinário poderá transformar decisivamente a vida de Sofia, desde que ela tenha a coragem de recuperar a magia do amor."

O escritor -Tiago Rebelo- :
"Tiago Rebelo é um dos romancistas mais brilhantes das letras portuguesas. Na última década manteve uma produção literária constante e os seus livros tornaram-se há muito presença habitual nos lugares cimeiros das principais tabelas de vendas nacionais. Com títulos disponíveis em diversos países, desde o Brasil a Angola e Moçambique, foi igualmente editado em Itália e na Argentina. Depois dos enormes sucessos aplaudidos pelo público e pela crítica, O Tempo dos Amores Perfeitos e O Último Ano em Luanda, o seu útlimo romance, O Homem Que Sonhava Ser Hitler, editado em 2010 pela ASA, é um magistral e absorvente relato de uma face desconhecida da sociedade actual. A par da actividade literária, Tiago Rebelo tem já uma longa carreira de jornalista, sendo actualmente editor executivo na TVI, e escrevendo regularmente para a revista do Correio da Manhã."

Minha opinião:
Este foi o primeiro livro que li do escritor Tiago Rebelo, apesar de ter na pilha vários livros deste escritor.
A leitura ocorreu porque recebi este livro pela parceria, que já divulguei aqui no blog com a editora Asa. Depois como estou numa Maratona que tem por objetivo baixar a Pilha de livros que temos em casa, eu pensei o seguinte, como tenho vários livros deste escritor, vou ler este para ver como é. Assim foi a minha incursão pelo livro "A Magia do Acaso". Este livro é muito atual e desde já dou os meus sinceros e honestos parabéns ao escritor, pela forma como abordou o tema do amor nos dias de hoje. As relações que se estruturam com base no interesse económico de uma das partes sobre a outra. As pessoas que se mantêm juntas só porque sim, que é o caso de André e Sofia, em que se instalou o sentimento de estar acomodado a um casamento seguro, este sentimento é de André que tem um medo enorme da solidão, mas nem por isso é impedido de trair Sofia.
Bernardo um empresário que vive sempre acima do que na realidade pode ( como é atual este tema ) e que consegue ter Pipa durante algum tempo ao seu lado, mas ...
Patrícia, que é a outra fase da moeda de André e que apesar de manipuladora chega a uma altura da sua vida em que tudo muda.
Este livro está escrito de uma forma soberba, confesso que me apaixonei por todas as personagens, não consegui tomar uma posição em relação a nenhuma delas e percebi o ponto de vista de todas elas ao longo desta atribulada viagem que é a vida amorosa no século XXI.
Recomendo a leitura deste livro, não se trata de um simples romance mas sim do retrato real e cruo da sociedade atual.
Classificação de 5***** no Goodreads.

Boas leituras.

Opinião I "O Jogo da Verdade" da escritora Sveva Casati Modignani

O Jogo da Verdade
Sveva Casati Modignani
Editora: Porto Editora
ISBN: 978-972-004-2804
N.º de páginas: 410 páginas

Releitura para a Maratona de Natal e para o grupo Vamos Baixar a Pilha 2016.
Sinopse:
"Roberta é uma jovem livreira em plena crise existencial e conjugal - Oscar, o marido, com quem casou contra a opinião de toda a gente, revela-se incapaz de responder às suas necessidades e de assumir as responsabilidades de uma família.

Uma dolorosa reflexão leva Roberta a percorrer o passado e a descobrir as raízes do seu mal-estar, que remontam à infância, passada no meio dos afetos envolventes da família paterna, onde a mãe, Malvina, brilhava pela ausência. Feminista convicta no período turbulento de 68, Malvina escolhera viver de acordo com os seus princípios e confia a filha ao companheiro. Desta situação vão nascer, ao longo do tempo, dramas, mal-entendidos, conflitos mal resolvidos e também segredos há muito guardados. E é apenas ao dissipar estas sombras que Roberta vai conseguir superar a crise e reconciliar-se consigo mesma.

Uma história de ligações profundas e paixões intensas em que Sveva Casati Modignani, através do confronto entre duas gerações de mulheres, nos conta como éramos antes e como somos agora."
Minha opinião:
Decidi fazer algo que não é nada habitual em mim, fazer uma releitura, mas este livro e esta escritora têm o dom de me tocar no mais ínfimo do meu coração.
Este livro retrata um tema muito atual, que cada vez mais me vou deparando no dia a dia. Uma mulher, Roberta cheia de ideais, que achava que o casamento era para sempre, isto ao contrário do que tinha sucedido com os seus pais.
Mas com o passar dos anos, começa a olhar para o seu marido vendo uma pessoa que se tinha acomodado a tudo na vida. Tanto ao nível profissional com a nível familiar, Oscar é uma pessoa sem objetivos para o futuro, acomodou-se a um trabalho do qual maior parte do que ganha vai para sustentar os caprichos da sua ex-mulher e em casa não ajuda Roberta nas lides diárias nem na educação dos seus dois filhos.
A Roberta cabe a tarefa de governar uma casa, educar dois adolescentes e ainda ter que viver com um homem pelo qual já não sabe o que sente.
Vão ser todas estas pressões que vão levar Roberta a querer perceber melhor o que na realidade se tinha passado com a sua mãe, que ela sempre se afastara, e o seu pai.
Mas Roberta estava longe de imaginar que a reaproximação com a sua mãe fosse fazer com que ela, uma mulher adulta, se conciliasse com o seu passado e que este a ajudasse a resolver os problemas do seu presente.
Uma releitura apaixonante que me agarrou mais desta vez do que da primeira, porque fui reparando em pequenos pormenores que me tinham escapado da primeira leitura.
Classificação de 5***** no Goodreads.

Boas leituras. 

Opinião I "As Viagens de Gulliver com escala em Portugal" da escritora Luísa Ducla Soares


As Viagens de Gulliver com escala em Portugal
Luísa Dulca Soares
Ilustrações de Ângela Vieira
ISBN: 978-972-0-72844-9
Editora: Porto Editora
N.º de páginas:80 páginas

Leitura realizada no âmbito da Maratona de Natal e Vamos Baixar a Pilha 2016

Sinopse:
"Baseada num clássico da literatura universal - As Viagens de Gulliver, de Jonathan Swift - esta peça é um desafio à imaginação e ao espírito crítico, levando os seus jovens leitores a encararem diversas perspetivas do mundo.
Passando pelo reino dos anões, dos gigantes e dos cavalos, Gulliver visita finalmente a Lisboa do século XVIII, onde, a par da galanteria e da riqueza, impera a Inquisição."

"A coleção Educação Literária reúne obras de referência da literatura portuguesa e universal indicadas pelas Metas Curriculares de Português e pelo Plano Nacional de Leitura."

A escritora - Luísa Ducla Soares -:

"Considerada uma das mais relevantes escritoras portuguesas na área da Literatura Infantil, Maria Luísa Bliebernicht Ducla Soares de Sottomayor Cardia esteve ligada ao grupo da revista Poesia 61 – que pretendia fundar em Portugal uma escola poética de cariz experimentalista, alternativa ao neo-realismo e ao surrealismo então em voga – e estreou-se em 1970 com o volume de poesia Contrato, embora poemas seus já surgissem em várias revistas e jornais desde 1951.

Em 1973 recusou, por razões políticas, o Grande Prémio Maria Amália Vaz de Carvalho, do Secretariado Nacional de Informação (SNI), atribuído ao seu primeiro livro para crianças,
A História da Papoila (1972).

Dedicou-se, desde então, à literatura para a infância e juventude, não só enquanto escritora mas também como estudiosa, participando regularmente em congressos e em projectos de divulgação e animação cultural em escolas e bibliotecas. Luísa Ducla Soares considera que o contacto directo com o público infantil é da maior importância para a promoção da leitura: «A escrita para crianças tem de ser, antes de mais, comunicação, e a recepção deles é essencial para que eu perceba se uma mensagem passa ou não.»

No decurso da sua actividade profissional – é assessora e responsável pela Área de Pesquisa e Informação Bibliográfica da Biblioteca Nacional – desenvolveu trabalhos de investigação bibliográfica com vista à organização de diversas exposições e catálogos sobre Literatura Infantil.

Saliente-se ainda a participação da autora, por convite de João de Lemos, no suplemento infantil do
Diário Popular (1972-1976) – em «O Doutor Sabichão» e depois no «Sábado Popular» – periódico onde surgiram diversos contos seus, tendo vários outros sido completamente cortados pela Censura. Foi este o caso de «O soldado João», no qual a autora abordava o problema da guerra colonial; o conto seria editado mais tarde, em volume autónomo.

Luísa Ducla Soares participou na revista didáctica
Rua Sésamo (1990-1995) e os seus textos de ficção, poesia, artigos e crónicas surgem regularmente na imprensa portuguesa.

Segundo a autora, os livros de Júlio Verne e de Eça de Queirós estiveram na origem do seu gosto pela leitura e pela escrita. Durante as Comemorações do Centenário da morte do autor português (2000), homenageou-o através da publicação de três livros dedicados aos jovens:
Com Eça de Queirós à roda do Chiado (1999), Com Eça de Queirós nos Olivais no ano 2000 (2000) e Seis Contos de Eça de Queirós (2000). «Convidei os meus leitores a passear pelos locais de Lisboa que o Eça refere. Fiz, assim, um roteiro da Lisboa queirosiana à volta do Chiado. [...] O meu objectivo foi abrir o apetite para ler o Eça a um público onde geralmente não chega – as crianças, que, no entanto, são muito sensíveis ao seu humor.»

O mesmo humor que, aliado à fantasia e ao
non-sense, constitui uma das marcas distintivas da obra da autora: a irreverência da narrativa, chamando a atenção do leitor para situações absurdas e comportamentos determinados pelo preconceito, desmontados através de jogos de palavras, contribui para a tomada de consciência, por parte dos jovens, de uma multiplicidade de possíveis interpretações do mundo em que vivem.

A par das actividades referidas, Luísa Ducla Soares escreveu o guião dos vinte e seis capítulos que constituem «Alhos e Bugalhos», série televisiva sobre a língua portuguesa, transmitida pela RTP durante as Comemorações do Ano Europeu das Línguas (2001). No campo musical editou, em 1999, um CD intitulado 25, com letras de sua autoria e música de Susana Ralha. A UNICEF e a OIKOS organizaram em 1990 uma maleta pedagógica baseada no conto «Meninos de todas as cores», como apoio ao projecto escolar e exposição «Um Mundo de Crianças».

Actualmente, Luísa Ducla Soares concebe e realiza a «Página dos Mais Novos» do site da Presidência da República Portuguesa na Internet.

Autora muito apreciada pelo público e pela crítica, Luísa Ducla Soares viu em 1986 o seu livro
6 histórias de encantar receber o Prémio Calouste Gulbenkian de Literatura para Crianças pelo Melhor Texto do Biénio 1984-1985. Dez anos mais tarde foi-lhe atribuído o Prémio Calouste Gulbenkian pelo conjunto da sua multifacetada obra.

Em 2004 foi nomeada para o Prémio Hans Christian Andersen da IBBY (International Board on Books for Young People), geralmente considerado o Prémio Nobel da Literatura para a Infância."

Centro de Documentação de Autores Portugueses
2004


Minha opinião:
Este é, tal como está referido na sinopse, uma história que foi escrita com a finalidade de servir para guião numa peça de teatro.
A forma como está estruturado foi muito agradável para mim como leitora, pois existe uma descrição dos cenários, que vão mudando ao longo da história e informações bastante interessantes são fornecidas.
Mais um livro desta coleção que li com um enorme prazer, quase que consegui imaginar a assistir à peça de teatro.
Classificação de 4**** no Goodreads.

Boas leituras.